5 lições de quem atuou em 110 projetos


Fazendo uma conta rápida (bem, bem rápida), me dei conta de que já participei de 110 projetos de comunicação, aproximadamente. Isso entre campanhas de marketing digital, marketing offline, vendas, programas de indicação e parcerias, jornais, revistas, webinars, podcasts, webcasts, ações de mídia social, marketing de conteúdo, sites, inbound marketing, outbound marketing, divulgações de imprensa, campanhas de motivação, endomarketing, ações de aproximação cliente/público-alvo (interno e externo), treinamentos comportamentais e comerciais, treinamentos de mídia (media training), treinamentos de web, treinamentos de vídeo, consultorias de imagem, comunicação e marketing, para citar só os que lembro de cabeça.


Não é uma lista modesta, nem tampouco foi fácil somar tudo isso. Mas não fiquei contando - tanto que, para ser sincera, 110 é uma estimativa, porque a real é que eu perdi as contas. Fui fazendo. Estudando, trabalhando, fazendo. Desde o primeiro estágio, lá no Terra Networks (sdds 7o andar), passando por todas as redações, assessorias e agências em que trabalhei, como colaboradora ou como sócia, até abrir a Aceká (2017), foram muitas entregas. Muitos desafios, também. Muitos erros - Ô! Mas muitos acertos, muitos sucessos, muita superação, muita noite e madrugada (hora extra... sabe de nada, inocente).


Tudo isso me trouxe alguns aprendizados, e por mais piegas que seja, vou compartilhar com vocês:


  1. Não existe almoço grátis MESMO. Tudo o que vier "de graça" cobrará o seu preço em algum momento, e isso não é ruim, não: quase sempre é só uma questão de toma lá, dá cá, retribuição. Aproveite a oportunidade quando se abrir, mas esteja preparado para pagar a conta quando chegar. Só isso.

  2. Não se chega a lugar algum sem andar. Pode ser rápido, pode ser devagar, pode ser na maciota ou aos trancos e barrancos, mas VÁ. Ficar parado ou lamentando frente a uma demanda ou um problema não traz solução. Te mexe, te coça, ou, como diz minha sábia mãe em perfeito talian, "move-te fora".

  3. O fácil existe SIM e, às vezes, é só fácil mesmo. Nem tudo tem que ser difícil: muitas vezes o caminho mais simples parece até pegadinha, mas é o melhor a seguir. Acreditem, uma pessoa prolixa e perfeccionista por natureza como eu aprendeu isso da pior maneira: tomando na cara, perdendo para quem fazia do jeito mais fácil e se dava bem. Fazer o fácil, mas bem feito, correto, e SÓ quando possível. Aí sim.

  4. Detestar rotina é para adolescentes. Nós, os paga-contas, temos de ter e nos beneficiamos muito com uma. Tenha horário para acordar, levantar, trabalhar, ler, estudar, comer, brincar com as crianças, deitar. Não precisa ser austero, mas precisa seguir. Vai por mim: isso muda a vida.

  5. Crie SLAs para a vida diária. Trabalho, família, casa. Com as devidas adaptações, você verá como isso ajuda a vislumbrar as conquistas almejadas e alcançá-las. As grandes e as de cada dia. Vale cada letra da sigla.

Vou parar nos 5 para não cansar ninguém. Lembro do troço de ser prolixa? Então, tô trabalhando pra melhorar. Mas se essas lições interessarem a alguém, uma hora dessas compartilho mais algumas.


Espero ter ajudado ou pelo menos entretido. FicaDica: conhecimento e vivência não ocupam espaço, e ainda economizam tempo, saúde e dinheiro uma pá de vezes. Valeu, até a próxima.



I know that my goal is more than a thought

I'll be there when I teach what I've been taught

And I've been taught

Frase da música "Lessons", do Rush, minha banda favorita e os caras aí da foto.


Gláucia Civa Kirch

CEO da Aceká Marketing Digital

Esposa, sócia e mãe de dois. E contando (as funções, não os filhos - esses já deu).


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • LinkedIn Social Icon
  • Facebook Basic Square